Corno á força

Click to this video!
Autor

Olá tenho lido alguns contos e vejo que muitos deles são puras invenções. Sou de Portugal, o meu nome é Zé tenho 58 anos e minha mulher se chama Paula e tem 54. Somos pessoas normais, sendo que a minha mulher ainda tem um corpo muito interessante para a idade, um grande par de mamas um belo cu e uma buceta muito gostosa. Eu sou mesmo um homem normal com um corpo algo desenvolvido por muitos anos de atividade desportiva, tenho um pau que pouco passa dos 16 cm. Estamos numa fase das nossas vidas em que o sexo já precisa de uma ajuda extra, a minha mulher nunca foi grande apaixonada por sexo e com a idade essa tendência tem piorado se não existe a tal ajuda extra passam dias em que nada de sexo. A história que vou contar aconteceu mesmo e inicialmente causou-nos algum trauma, tudo aconteceu no verão passado num dia quente em que a praia estava cheia de gente. Junto a nós estava um casalinho jovem, cerca de 20 anos talvez e todo o tempo se beijavam de lingua, ela tinha um corpinho maravilhoso com umas maminhas muito bem feitas e um bikini que deixava ver um papinho de buceta lindo. Ao fim de algum tempo o meu caralho começou a dar sinal com muita tesão, a minha mulher também já se tinha apercebido de todo o clima e estava a gostar do que via. Aproveitei que ela estava deitada de barriga para baixo para meter a minha mão por baixo dela até chegar com meus dedos junto da sua buceta que já estava ficando húmida de tesão. A praia onde estávamos tem uma mata com muitos arbustos muito densos e fechados, era o sitio ideal para uma boa foda. Segredei ao ouvido da minha mulher para irmos para a mata, ela acedeu de pronto, já estávamos há mais de 15 dias sem ter sexo, pelo que a tesão era muita. Chegados ao interior da mata tirei o meu calção e pedi a minha mulher que se ajoelhasse e chupasse meu pau. Isto é algo que ela não gosta muito porque tem medo que encha sua boca de porra e ela não fica muito confortável com isso, mas de pronto começou a meter meu caralho na boca e chupando e me deixando doido, oomecei a beijar os bicos das suas mamas e metendo os meus dedos na sua buceta que estava toda melada a tesão era tanta que pedi a ela para fazer um 69, que delicia a minha lingua naquela buceta bem molhadinha, passado alguns minutos reparei que alguém estava nos observando e pedi a minha mulher para discretamente vestir o seu bikini e sairmos dali, logo o homem um branco de estatura média se aproximou mais um pouco e logo que minha mulher tinha seu bikini vestido caminhámos para o lado contrário ao que o homem se encontrava, acontece que nesse mesmo caminho apareceu um outro homem negro alto e bastante musculoso e logo um outro apareceu, também negro um pouco mais forte e barrigudo que o outro, estávamos a ficar com muito medo da situação nunca tinhamos passado por uma coisa destas. tentámos caminhar junto ao segundo homem tentando ignorar as suas intenções mas logo que nos aproximámos este puxou de uma faca que encostou no meu pescoço, nesse momento gelei por completo logo os outros dois homens se chegaram também e me imobilizaram enquanto que o outro tinha a minha mulher segura e lhe colocou um lenço na boca para não gritar. O clima estava um pesadelo e apenas lhes pedi para não nos fazerem mal, eles deram uma risada e logo o branco foi atrás de um dos arbustos, pelos vistos já conheciam bem a zona e tinham planeado muitas vezes este tipo de ataques, e puxou de uma corda que serviu para me amarrar a uma dos arbustos. Me avisaram se tentasse gritar minha mulher sofreria as consequências. Logo o negro alto com porte atlético puxou minha mulher para uma zona com alguma areia e logo de seguida rasgou o seu bikini expondo as sua mamas e sua buceta ato continuo puxou seu pau enorme para fora das suas calças e começou a passar ele na cara da minha mulher, eu nesse momento percebi que talvez quisessem apenas uma boa foda e que logo nos deixariam em paz. Os outros dois homens também se despiram nenhum deles tinha uma caralho tão grande como o primeiro sendo que o do branco tería o tamanho do meu mas um pouco mais grosso e do negro barrigudo tería uns 20 cm. Agora o do negro atlético meu Deus era enorme nunca tinha visto um caralho daquele tamanho. Logo depois de se despiremo branco tirou o lenço da boca da minha mulher dizendo a ela que se gritasse morreria ali mesmo, mais uma vez fiquei gelado com aquela ameaça e vi nos olhos da minha mulher que ela estava em pânico. Ela obedeceu e o negro de pau enorme meteu o pau na boca da minha mulher com tanta força que ela quase vomitou, começou a bombar como se estivesse fodendo uma buceta e várias vezes minha mulher teve vómitos, logo de seguida obrigaram ela a ficar de quatro e o negro barrigudo começou a enfiar o pau na buceta com muita violência também e o branco apalpando as mamas e batendo punheta, nisto o negro pauzudo tirou o pau da boca dela e ela pediu para terem calma que ela deixava fazer tudo sem gritar mas que não precisavam de ser tão violentos e pediu por favôr não venham em minha boca, com este pedido os três deram uma gargalhada e de novo o pauzudo meteu o pau na boca da minha mulher com violência provocando mais um vómito o barrigudo já estava comendo minha mulher com muita força e eu ali amarrado observando sem poder fazer nada, mas agora com uma sensação estranha pois o medo estava dar lugar a muita tesão e reparei que a minha mulher estava gemendo de prazêr e gostando de ser fodida por aqueles desconhecidos. Neste espaço de tempo o negro pauzudo encheu a boca da minha mulher de porra que lhe escorria pelos cantos da boca e ela nem reclamou, quando comigo raramente me fazia um broche com medo que eu me viesse em sua boca. Pensei para mim.. que puta está gostando de levar …. agora estava o branco comendo o cu dela e o pauzudo se preparando para fazêr dupla penetração enquanto que o barrigudo estava metendo na boca que ainda tinha os cantos cheios de porra, a minha mulher estava rendida e gemendo de prazêr e eu ali cheio de tesão e sem sequer poder bater uma punheta porque estava amarrado no arbusto. Agora o negro barrigudo também se veio na boca da minha mulher e mais uma vez aquela puta nem um sinal de nojo fez, engoliu tudo, enquanto isto o negro pauzudo e o branquela continuavam a torturar a minha mulher com uma dupla penetração e ela a se contorcer toda de prazer e dor porque o pauzudo tinha o caralho todo metido naquele cuzão e eu já tinha o meu pau a latejar de tanta tesão, quem diria, eu que sempre fui muito pelo sexo convencional, porque minha mulher não era muito entusiasta de sexo, estava ali louco por ver a minha mulher a ser fodida por três autênticos animais que se vieram mais uma vez dentro dela, agora escorria porra abundantemente pelo cu e pela buceta, agora sim a minha mulher estava exausta e quase desmaiada de tanto sexo violento, foi fodida sem qualquer tipo de piedade e finalmente abandonada por aqueles três animais famintos que foderam a presa quase durante uma hora, vestiram as roupas me desamarraram do arbusto mas me avisaram com a faca junto ao pescoço que não podia gritar caso contrário minha mulher que estava ali inanimada pagaria pelo meu atrevimento. Na realidade o meu pensamento naquele momento não era de gritar mas sim de poder aliviar a minha tesão, olhei para a minha mulher ali caída, com porra a escorrer pelo cu e pela buceta e não resisti, mesmo desacordada agarrei meu pau e enterrei todo ele naquele cu, entrou facilmente porque estava muito aberto e cheio de porra estava com tanta tesão que não aguentei muito e despejei minha porra na cara dela que entretanto acordou toda dorida, a buceta dela estava toda vermelha do pauzão daquele negro que devería ter mais de 25 cm e deixou ela toda arrebentada. Como tinha o bikini rasgado fui ao sitio onde estavamos na praia buscar uma toalha e sua roupa e fomos para casa traumatizados por aquele momento de medo e prazêr que todos os dias lembramos e nos leva a foder agora várias vezes por semana e agora minha mulher finalmente me deixe vir em sua boca e nunca pensei que isso fosse possível, por isso de alguma forma estou grato aqueles três animais.