Minha prima Martha (parte 1)

Click to this video!
Autor

Minha Prima Martha (parte 1)
Conforme conto anterior onde relatei como eu e a minha prima iniciamos a nossa sedução, quero aqui salientar que ocorreram muitas outras situações e vou neste conto tentar fazer de forma resumida.
Depois da primeira vez lá no sitio de nossa avó onde existiu a penetração ficamos ainda mais íntimos e toda vez que podíamos estávamos sempre na sacanagem, isto é, muitas passadas de mão, beijos e chupadas, mas a penetração estava muito difícil ocorrer, pois naquela época as coisas eram mais rígidas, pois sempre estávamos rodeados com os olhares de algum adulto.
Nas brincadeiras com os demais primos e primas sempre procurávamos um jeito de estarmos juntos e muitas encoxadas ocorriam naquela época, pois queríamos ir além, mas as oportunidades eram poucas.
Dessa forma tínhamos que ser sempre muito discretos e audaciosos, pois começamos a fazer as sacanagens mencionados acima mesmo existindo pessoas e crianças por perto. Assim, existiu uma vez onde ao chegar na casa de minha avó no período da tarde ela a minha avó estava se aprontando para ir fazer compras no centro da cidade na companhia da mãe de minha prima e levaria os dois irmãos menores e ela (A Martha) ficaria na casa com o nosso tio (este tio possuía deficiência auditiva e era quase da nossa idade) e também comigo.
Bem, elas saíram levando os dois menores e ficamos na casa, estávamos na sala os três sentados no sofá e eu e ela articulamos alguma coisa no sentido de tentar fazer algo gostoso de preferência ficarmos na sacanagem (rsrsrs), ela então, falou que iria subir no quarto da lavanderia e era para eu a seguir e assim fizemos, ao entrar neste quarto que tinha uma janela voltada para o corredor do quintal da qual permitia que tivéssemos uma visão geral de quem se aproximasse começamos a nos agarrar, logo tirei o meu pau para fora e ela logo se abaixou para poder chupar e começou a deslizar a sua boca macia por toda extensão de meu membro, mas logo tivemos que parar pois o nosso tio vinha se aproximando; ele, perguntou o que fazíamos e ela logo inventou que íamos brincar de quebra-cabeça (como desculpa) e ele se empolgou e falou que também queria brincar com agente, só que a nossa intenção era outra, pois estávamos excitados foi então que ela comentou comigo que não teria jeito de fazer nada diferente a não ser se ele também participasse de alguma forma e como a nossa excitação já estava muito nas alturas, concordei, visto que havia mesmo que havia sugerido (fiquei ainda mais excitado).
E assim começamos, na lavanderia existia uma lousa na parede e falei para ela ficar de pé escrevendo enquanto nós dois ficaríamos sentados nas cadeiras (um ponto a relatar…nossa neste dia a minha prima estava com uma calça de viscose onde permitia observar o quanto ela tinha uma bunda maravilhosa, grande, empinada e dura), pois devido ao caimento do tecido marcava bastante as suas curvas e ela por sua vez ainda atendia os meus pedidos para que ela empinasse a bunda, foi então, que não aguentei e fiquei de pé ao lado dela e comecei alisando a bunda dela mostrando para ele como era grande e dura a bunda dela, passei a mão na bunda e olhando para ele eu disse: Olha só como é grande e ela deixa! E ela só olhando para traz para ver a reação que ele teria.
Ele por sua vez fez a princípio uma cara de bravo e que ao mesmo tempo não estava entendendo nada, foi então que a minha prima tratou de me abraçar e me deu um beijo no rosto, dizendo para ele que nos (eu e ela) estávamos juntos e que era para ele não contar nada para ninguém, ele fez cara de espanto e começou a rir e ao mesmo tempo fez um sinal de positivo. Logo pedimos para ele ficar de pé na porta da lavanderia cuidado para nós, pois poderia chegar alguém e não queríamos ser surpreendidos, assim, eu me encostei em uma mesa que havia no quarto e ela ficou na minha frente, logo começamos a nos beijar, no início timidamente, pois queríamos ver a reação dele, mas pude perceber o quanto ela estava excitada e confesso que eu também de pau duro com aquela situação. Ele gesticulou dizendo que poderíamos continuar ela estava de blusinha branca de botões na frente e eu fui desabotoando até a altura de sua barriga permitindo assim que fosse possível tirar aqueles lindos peitos para fora ficando bem visíveis.
Fiquei maluco de tanto tesão, pois conforme já mencionei anteriormente os seios da minha prima eram duros, empinados e com grandes auréolas rosadas (já no primeiro conto fiquei excitado quando ela me falou que deixava um garoto de 12 anos ficar chupando aqueles maravilhosos seios) e agora, eu ali de novo, com os seios dela todo para fora prontos para serem mamados e ali, uma outra pessoa observando tudo (ele tinha 18 anos enquanto nós estávamos com 16 anos).
Comei colocando a boca bem devagar, deslizando em toda a sua auréola, deixando os bicos dos peitos bem salientes (ela estava bem excitada) e com aquela situação ela tremia toda e percebendo sussurrei em seu ouvido se ela queria parar e ela falou que não, logo voltei a chupar os peitos segurando em sua cintura ela por sua vez alisava os meus cabelos e também dava umas olhadinhas para a porta onde estava o nosso tio, cuidando para nós e de repente nos deparamos com ele sendo o nosso recheio, pois eu estava na sua frente chupando os seus seios e o nosso tio encoxando a sua bunda, ele logo, começou a dar uns beijinhos no pescoço dela e pude observar o quanto excitada ela estava, logo ela virou de costa para mim e fiquei encoxando e ela deixou o nosso tio ficar mamando em seus seios, tirei o meu pau para fora e ela de costa para mim começou a segurar e a tentar bater uma punheta e logo ele também tirou o pau para fora e fez ela pegar ficando ela ali tentando bater para os dois ao mesmo tempo, sendo encoxada e dando os peitos para serem chupados.
Essa foi mais um dos relatos com a minha prima Martha, sendo que posteriormente esse nosso tio passou a ser o nosso álibi e também conseguia tirar umas casquinhas da minha prima fogosa.