Vizinha do segundo andar

Click to this video!

Recentemente, mudou para um apartamento do segundo andar, novos moradores: Rosana, de 29 anos e sua filha, Rafaela de apenas 9 aninhos. Não demorou muito tempo e já estava comendo a safada no apartamento dela. A Mulher é muito vadia, adora ver o pinto entrado dentro dela.

Descobri que ela era divorciada do marido, que batia muito nelas, principalmente na menina, e estava numa briga constante pela guarda da filha, então, tudo o que acontecia tinha de ser no maior sigilo, pois se a menina comentasse com o pai que vários machos estavam frequentando o apartamento, com certeza ela perderia a guarda da menina.

Descobri depois de um tempo que a menina também era muito safadinha, apesar da pouca idade, já peguei ela uma vez com a saia levantada e um muleque do oitavo andar passando a mão na bunda e com outra mão dentro da calcinha dando umas dedadas na bucetinha dela.

Até ai, não vi interesse na menina, apesar de ter ficado excitado de ver uma coisinha linda já levando dedo na buceta, mas meu interesse por ela aumentou quando a vi de biquíni, ela tinha 9 anos mas tinha uma bundinha deliciosa. Tinha puxado a mãe.

Então comecei a chegar mais dessa menina, a brincar com ela, fazer amizade, até que um dia ela me pegou saindo do apartamento dela, e perguntou o que eu estava fazendo lá. Disse que nada, mas ela insistiu, queria saber porque quando tem algum com sua mãe, a porta fica trancada e ela não pode entrar? Foi quando resolvi investir na menina, e disse que a mãe dela brincava igual ela brincou com o menino outro dia.

Ela ficou vermelha, por ter sido descoberta, pediu pra não comentar com a mãe dela nem pro pai, e disse que deixaria ela ver o que os homens faziam com sua mãe, mas ela tinha de prometer não contar pra ninguém, nem pro pai nem pra mãe, e ela concordou, e que eu iria fazer depois com ela o mesmo que faço com a mãe dela, ai ela ficou apreensiva, pois não sabia o que acontecia.

Combinei com ela que quando fosse novamente na casa dela, eu a avisaria e deixaria a porta destrancada, e assim aconteceu. Antes de ir fuder a mãe dela, passei ni play e pedi pra ela esperar por 10 minutos e depois entrasse sem fazer barulho no quarto da mãe.

Quando eu cheguei no apartamento, já cheguei chegando, arrancando a roupa da puta e já fui arrastando ela pro quarto, mas tomei o cuidado de deixar a porta destrancada. quando estava metendo na buceta da mãe dela, que estava de quatro na cama, gemendo como uma vadia, vi a pequena Rafaela colocando a cabeça na porta, e assistindo sua mãe ser fudida como uma puta. Ainda olhei pra cara dela, e vi a cara de espanto vendo sua mãe naquela posição.

Antes dela sair, fiz sinal pra ela sair da porta, e quando isso aconteceu, coloquei sua mãe na posição papai-e-mamãe e metia forte naquela puta, que gemia de olhos fechados, pedindo pra eu fuder mais e mais a buceta dela, e tudo isso, Rafaela estava assistindo. Rafaela assistiu com algum tempo e foi embora.

Quando terminei, desci até o playground, onde encontrei Rafaela com um olhar de espanto, não imaginando que a mãe dela fazia tudo aquilo e com outros homens. Então disse pra ela que era normal, e se ela queria fazer aquilo comigo, e claro que ela disse não, então não tive escolha senão denunciar ela pra mãe, que os meninos estavam enfiando dedos dentro dela. Ela ficou então com medo e subimos até o meu apartamento.

Chegando lá, tratei ela como eu tratava a mãe dela, como uma puta, arranquei a roupa dela, fiz ela cair de boca na minha rola, a safada sabia chupar também, e a deitei na cama e fui dar uma conferida na buceta dela. Ela não era mais virgem, quando perguntei se ela tinha transado, disse que um menino no outro prédio aonde morava tinha colocado o pinto dentro dela.

Então não perdi tempo, dei uma bela cuspida na buceta e meti pra dentro. A safadinha gemia igual a mãe, só que ao invés de pedir pra por mais, pedia pra parar, mas eu queria mais, e ia querer mais mesmo, queria comer aquele belo cuzinho que ela tinha.

Enfiei a calcinha dela na boca, dei uma outra cuspida no cu e comecei a meter na bundinha dela. Eu comecei a meter naquela bunda, e ela gritava de dor, sendo abafado pela calcinha que tinha enfiado na boca dela. Quando meu pinto entrou totalmente, comecei a meter muito naquela bunda, ela chorava pedindo pra parar, e eu sem dó naquele momento, metia fundo naquele cuzinho.

Apesar de ter uma bunda deliciosa, eu queria gozar dentro da buceta, encher aquele pequeno útero de minha porra, então a virei, enfiei novamente na sua buceta e em poucas bombadas, estava jogando jatos e jatos de porra dentro daquela pequena vadia.

Quando eu sai em cima dela, ela começou a dizer que ia contar pra mãe dela o que eu tinha feito, então disse pra ir, e aproveitasse pra contar que vários meninos da tinham se aproveitado daquele lindo corpinho, e que depois ligaria pro pai dela, dizendo que muitos homens estavam frequentando a cama da mãe dela, e que ela iria adorar voltar a morar com o pai e apanhar todos os dias

Ela ficou em silencio, se vestiu e estava saindo do meu quarto quando disse:

– Próxima semana quero você aqui novamente, entendeu?

Ela parou, e sem olhar pra mim, disse:

– Ta, próxima semana